Site da rede
Artistasgauchos.com.br
artistasgauchos.com.br

Notícias

Mostra Comica Cultural 2011
05/12/2011 / Cômica Cultural

MOSTRA CÔMICA CULTURAL 2011
TEATRO CARLOS CARVALHO DA CASA DE CULTURA MARIO QUINTANA
De 12 a 18 de dezembro - 21h
12/12 - Pocket Musical: Sátiras da Vida Alheia, de Cíntia Ferrer – ENTRADA FRANCA
13/12 - Nós! e um pouquinho de Tcheckov, de Catharina Conte – ENTRADA FRANCA
14 e 15/12 - Fada&Monstros, de Bob Bahlis – INGRESSO: 2KG DE ALIMENTOS NÃO PERECÍVEIS
16,17,18/12 – Vendetta Corsa, de Júlio Conte - INGRESSO: R$ 15,00 e R$ 7,50 (estudantes, idosos e classe artística)


12/12 - SEGUNDA-FEIRA - 21H
ENTRADA FRANCA

Pocket musical
SÁTIRAS DA VIDA ALHEIA
roteiro e direção: CÍNTIA FERRER

Por um lado, uma família de classe alta falida ainda tenta manter seu status social em meio ao desequilíbrio psicológico que afeta a concepção real de seus membros sobre sua situação atual. Por outro lado, a classe trabalhadora e pobre que busca seu sustento através de migalhas que pagam a sua existência diária. Diante a este caos social, tanto uma como a outra, na busca de uma vida regrada a regalias, abusam da vida alheia para atingir seus objetivos. E tudo isso embalado pelos clássicos da música nacional e internacional, isto é... vai depender do seu ponto de vista, já dizia Latino quando ouviu pela primeira vez o Kuduro! As letras parodiadas, numa miscelânea de ritmos onde o sertanejo, o pop, a MPB e o lírico, são tudo farinha do mesmo saco quando saem da boca de corruptos e imorais, seja do pobre, do rico ou do político falcatrua, fica a pergunta: se político pode, porque é que o cidadão não?

Elenco:
Donna Poetta
Gabriele Golbert
Marta Lisboa
Pedro Valduga
Stephanie Borges
Vicente Mello


13/12 - TERÇA FEIRA - 21H
ENTRADA FRANCA

NÓS! E UM POUQUINHO DE TCHEKHOV
roteiro de direção: Catharina Conte


Onde termina o ator e começa o personagem? Brincando com essa passagem entre o nosso eu e o aquele que representaremos, cria-se "Nós! E um pouquinho de Tcheckhov". Permeado por depoimentos pessoais, coreografias e encenações dos contos "A pamonha", "A obra de arte" e "Brincadeira", do dramaturgo e escritor russo Anton Tcheckhov, o trabalho é uma amostra do processo das aulas de teatro, e dos conceitos de espaço, movimento, tempo cênico, e presença, que resulta numa emocionante e pessoal performance festiva.

Elenco:
Daniela Tomasi
Jauques Antero Lourenzo
Jaqueline Lodi Moraes
Nathalia Adami
Nestor Tipa Jr.
Priscila Jardim
Tales Idiart
Ubirajara Pereira


14 e 15/11 - QUARTA E QUINTA- FEIRA - 21h
INGRESSO: 2KG DE ALIMENTOS NÃO PERECÍVEIS

FADAS& MONSTROS no Velório de Pan
roteiro e direção de Bob Bahlis


Elenco:
Ana Lucia Guaragna
Boni Rangel
Cristiano Godinho
Fabíola Barreto
Fernanada Moreno
Iágoda Melissa
Jordan Martini
Leo Bello
Lolô Medeiros
Martha Brito
Olavo Gazzola
Rafael Druzian
Saulo Aquino


O espetáculo “Fadas&Monstros no velório de Pan”, é um Conto de Fadas para adultos.
Escrito e dirigido por Bob Bahlis, este Conto de Fadas foi inspirado no livro “Fadas no divã”, de Diana L. Corso & Mario Corso e na lenda Urbana sobre a morte de Walt Disney, que teve o corpo congelado, logo após a sua morte, para ser ressuscitado no futuro. O processo de criação e montagem com os atores levou um ano: estudo do livro “Fadas no divã”, criação de cenas e montagem do perfil psicológico de cada personagem.
Assim como no livro “Fadas no Divã”, a peça pode evocar lembranças e suscitar possíveis insights do público sobre sua infância. Ou seja, embora não seja escrito/encenado para isso, pode ter como efeito paralelo uma função de autoanálise. É também uma forma de aprender psicologia e psicanálise através das histórias infantis.
A história mostra alguns personagens dos contos de fadas, perdidos num bosque, onde há um tipo de portal entre a realidade e fantasia.Durante a madrugada acontecem encontros secretos entre alguns personagens, que passam a questionar sua existência e comportamento. Branca de Neve, Bela Adormecida, Caçador, Lobo, Chapeuzinho Vermelho, Reis, Madrastas e Príncipes ficam vagando por um bosque, numa espécie de transe.
Branca de Neve questiona-se: que família é essa, que só tem espaço para o amor de uma mulher? E qual a função dos pais nos contos de fadas? Porque eles nunca estão presentes e abandonam suas filhas nas mãos de terríveis madrastas?
Bela Adormecida, a princesa mais passiva de todas, acredita que sua mãe a ama. Mas qual mãe não ama e se derrete ao ver seu bebê dormindo? E que ponta é essa que não pode fazer ela sangrar? Seria a masturbação uma boa saída para Bela Adormecida ficar acordada?
E o que quer Chapeuzinho Vermelho, caminhando pelo bosque? E o que pode acontecer entre dois príncipes, cheios de hormônios, ao se encontrarem no bosque?
Tantas outras questões são tratadas na peça, até que duas revelações mudariam a vida daqueles personagens para sempre: Peter Pan morreu e descobrem que são comandados pelo cérebro de Walt Disney.Mas o que quer Walt Disney com os personagens? Quem matou Peter Pan?


VENDETTA CORSA, porque a minha ferida é mortal, de Júlio Conte
Data: Dias 16,17 e 18 de Dezembro (sexta, sábado e domingo) - 21h
Local: Sala Carlos Carvalho da Casa de Cultura Mario Quintana
Valor: R$ 15,00 e R$ 7,50 (estudantes, idosos e classe artística)
Mais informações: http://vendettacorsa.blogspot.com/

Uma faca corsa é a protagonista de crimes aparentemente inexplicáveis. Numa sequência aparentemente absurda uma estudante esfaqueia um rapaz na parada de ônibus. Um rapaz desesperado por ter perdido seu filho é impulsionado para seu abismo maior, sente o sangue nas papilas. Um homem enciumado, traído pela esposa e um casal de lésbicas em crise tornam-se vítimas do desejo macabro de Vendetta Corsa. O Delegado Pimentel se encarrega de solucionar os crimes, porém percebe que ninguém é imune a trama diabólica da faca corsa. Atos repletos de barbáries cometidos por marionetes humanas em prol da sede eterna por sangue. A temática gira assim em torno de facas, seu simbolismo e usos. A trama é a investigação de crimes perpetrados pela mesma faca. A magia da lâmina escolhe suas vítimas e seu executor.Uma parábola moderna do papel do homem frente a impossibilidade de controlar seus impulsos mais primitivos.

"O corte pode ser no corpo ou na alma, o que conta é a permanência, a persistência da ferida. O tempo passa, mas ela permanece ali, sangrando em silêncio, sem perdão nem reparação. Uma mulher com sede de sangue. Um filho perdido, uma traição, um amor não correspondido, qualquer motivo serve de pretexto para a vingança. Uma dor sem fim, que impulsiona para a vendetta. Ela está em lugar nenhum, e surge, em ato, ação e sede. Uma faca corsa é a protagonista de crimes aparentemente inexplicáveis." Júlio Conte, diretor.

Direção: Júlio Conte
Assistência de direção: Alessandro Peres
Elenco:
Gabriela Boesel
Guilherme Barcelos
Gustavo Saul
Ísis TEixeira
Larissa Hoffmeister
Leo Bello
Renata Steffens

 

 

Av. Osvaldo Aranha, 1070/503 - Fone 51 3268.7016 - comica@terra.com.br

Site desenvolvido pela Metamorfose Agência Digital